Aumentar a produtividade da empresa é a meta de todo gestor, mas nem sempre é possível adquirir mais equipamentos ou funcionários. Nesse caso, como é possível potencializar a produção? Engana-se quem pensa que esse é um objetivo impossível. Aumentar a produtividade não está atrelado a aumento de gastos. Pelo contrário, a redução de custos/despesas é muitas vezes consequência do aumento da produtividade.

É o que o especialista Carlos Antônio Gati, coordenador do curso de Pós-Graduação em Engenharia e Gestão Industrial do Ietec afirma: “Temos que atentar para o fato de que a relação entre custos e produtividade não é totalmente direta e/ou linear. A variação na produtividade não gera necessariamente a mesma variação nos custos/despesas”.

A manufatura enxuta é um dos caminhos possíveis para otimizar custos e produtividade através da eliminação de desperdícios. Essa filosofia, desenvolvida pela Toyota, busca atender as necessidades dos clientes tendo como foco a redução dos desperdícios em todas as etapas do processo, consumindo apenas os recursos mínimos necessários.

Por meio de uma análise global das etapas produtivas, a manufatura enxuta atua sobre problemas como: produção acima do necessário, tempo de espera prolongado, acúmulo de material em estoque (que gera custos desnecessários), entre outros.

Além da manufatura enxuta, os gestores devem buscar a melhoria da gestão dos recursos pela Teoria da Restrições. De acordo com ela, os gargalos de produção são processos (máquinas, linhas, pessoas) que limitam a capacidade final da produção industrial. Solucioná-los ou reduzi-los significa grande economia e eficácia produtiva para a empresa, como aponta Gati: “Segundo a ‘Teoria das Restrições’ os recursos gargalos são quem determina o resultado da empresa. Melhorando o gargalo, melhora-se o resultado da empresa como um todo”. Para isso, é necessário designar cada função ao funcionário mais apto e utilizar o equipamento da melhor forma possível, melhorando, dessa forma, o fluxo de trabalho.

Nesse contexto, Gati destaca a importância de se aliar gestão e engenharia: “A gestão identifica no processo qual o recurso é restritivo e a engenharia atua neste recurso melhorando sua condição, ou seja, sua capacidade. Como resultado teremos uma empresa mais produtiva e rentável”.

A pós-graduação em Engenharia e Gestão Industrial do Ietec capacita o profissional em todas essas funções, se aprofundando em cada parte do processo industrial. Para quem quer se especializar na área, o curso terá uma nova turma com início em 17 de abril. Para mais informações acesse www.ietec.com.br ou ligue (31) 3116-1001.