Uma pós-graduação é uma excelente opção para quem deseja ser um profissional completo. A competição do mercado não existe à toa: só há disputa porque os profissionais procuram constantemente por conhecimento, o que os tornam capazes de conquistar altos cargos, reconhecimento e um salário melhor. Dentre as opções de cursos, o mestrado tem tido cada vez mais destaque no currículo. Este é um curso de pós-graduação stricto sensu, muito procurado por quem deseja seguir carreira acadêmica. Porém, cada vez mais, tem sido frequente a busca de executivos com esse tipo de formação.

“O mercado passou a enxergar profissionais com mestrado e doutorado como referência para solução de problemas complexos e, consequentemente, propulsores de pesquisa e desenvolvimento, gerando inovações para as organizações”, aponta a coordenadora do Núcleo de Carreiras do Ietec e Master Coach, Silmara Pereira. Isso acontece porque ele incentiva o aprofundamento no estudo de determinado objeto, que passa a ser analisado à luz de um rico arcabouço teórico. Muitas vezes, o objeto de pesquisa pode estar associado, inclusive, a um projeto desenvolvido na empresa onde o profissional atua.

Jacqueline Furtado, diretora-executiva do Hospital de Olhos Dr. Ricardo Guimarães, destaca como seu esforço de pesquisa durante o mestrado foi importante para que ela pudesse desafiar seus conhecimentos adquiridos na vida profissional e em especializações para solucionar desafios na gestão de finanças da instituição. “Eu quis fazer um mestrado, pois a especialização somente não me deu instrumentos suficientes para solucionar os problemas que havia no Hospital, eu não conseguia lidar com tantas variáveis. Além disso, faltava um algo a mais, eu queria ver as coisas na prática, saindo do papel”, explica Jacqueline.

Os ganhos proporcionados pelo mestrado

Acumular experiências de qualificação sempre traz retornos para a vida profissional e pessoal de quem se dispõe a voltar para a sala de aula. Em especial, quando falamos de uma pós-graduação em nível de mestrado as mudanças passam a ser maiores, pois o processo de pesquisa traz ao estudante o desenvolvimento de sua visão crítica e analítica acerca de seu trabalho. Dessa forma, o profissional que adquire essa titulação obtém destaque na academia e no mercado de trabalho, além de poder planejar sua carreira com mais facilidade.

Danilo Batista é um dos exemplos em que o mestrado possibilitou a ampliação do olhar para a atuação profissional. O arquiteto e diretor da empresa D&P Arquitetura afirma que o mestrado lhe deu a oportunidade de repensar sua carreira despertando a vontade de futuramente entrar para a licenciatura e também permitiu aprimorar seu trabalho na área. “Foi um processo de grande atualização, pois eu estava fora da academia há muitos anos e pude me inteirar do que há de mais atual. Para o meu trabalho na Arquitetura, o mestrado trouxe uma oportunidade de ampliar minha área de atuação para consultoria em cidades sustentáveis, em complemento aos meus conhecimentos como LEED GA, que sou desde 2014”, explica Danilo se referindo à certificação profissional LEED Green Associate, voltada para profissionais interessados em construção sustentável.  

Ganhos também para quem quer seguir carreira acadêmica, como é o caso de Aparecida Helena de Oliveira. A professora de matemática, com vasta experiência na área da educação, pôde conquistar, através do mestrado, um novo planejamento para sua trajetória profissional. “Eu gosto de ensinar e é o que eu quero fazer em minha vida. Uma forma de contribuir com esse ofício é ter o mestrado para formar outros professores. Eu já tinha tido experiências com capacitação de profissionais de educação, mas sempre me foi exigido um mestrado. Profissionalmente, o mestrado me deu uma abertura muito grande para visualizar minha vida profissional em um futuro próximo. O curso me permitiu projetar passos maiores na docência do ensino superior e que em 2019 será meu objetivo”.

Qualidade e precisão em um só programa

Diante do peso que essa modalidade de pós-graduação possui no currículo, escolher um programa que atende aos objetivos estabelecidos por cada profissional se torna um desafio à parte. A área de estudo e as linhas de pesquisa são um dos primeiros pontos que precisam ser avaliados.

No caso do Ietec, por exemplo, o mestrado Engenharia e Gestão de Processos e Sistemas é o único do Brasil que alia as áreas de Engenharia e Gestão. Dessa forma, o programa concilia abordagens quantitativas e qualitativas. Além disso, as duas linhas de pesquisa da instituição têm múltiplas aplicações profissionais, ao mesmo tempo em que permitem uma visão dos principais problemas existentes nas organizações. “Quando cheguei à sala me deparei com uma turma de 35 pessoas, onde 33 eram engenheiros e só eu de enfermeira. De cara eu pensei: estou no lugar errado. Pelo contrário, ali eu me achei. Eu tive acesso a ferramentas que o ambiente de trabalho da empresa não tinha me dado antes. E a engenharia tem essa facilidade, ela te dá oportunidades de ser analítico. Então o mestrado me proporcionou uma visão muito mais centrada e me ajudou a alinhar meus conhecimentos nas duas áreas”, afirma Jacqueline Portela.

É o que destaca também Carlos Alvarenga, engenheiro de materiais e Diretor de Divisão da Sankyu, uma multinacional de origem japonesa. O mestre, formado pelo Ietec, ressalta a aplicabilidade dos conhecimentos desenvolvidos durante o curso no cotidiano de seu trabalho. “O aprendizado do mestrado me auxilia através do aumento na performance em lidar com os problemas advindos de atividades industriais com forte rigor científico. Por meio da geração de novos conhecimentos e desenvolvimento de tecnologias, sou capaz de intervir nos processos industriais visando o aumento de produtividade e qualidade do produto final com a utilização racional dos recursos”.

Outro fator importante na hora de iniciar o percurso do mestrado é o corpo docente da instituição. O andamento de uma pesquisa se estende em várias etapas no decorrer dos dois anos de dedicação que vão desde o desenvolvimento de um arcabouço teórico sólido ao trabalho de campo para coleta de dados. Portanto, é essencial que o estudante possa contar com uma equipe de professores capacitados para dar apoio em cada fase. “No Ietec encontrei pessoas de excelente qualidade. Me senti acolhida pela humildade, transparência e parceria dos professores. Esse acompanhamento é essencial, pois o mestrado é muito cansativo para o físico e o psicológico e, por isso, esse apoio é muito importante”, ressalta a Aparecida Helena de Oliveira.

Com o quadro de professores com experiência acadêmica nacional e internacional e atuação em empresas, o mestrado do Ietec possibilita que as aulas possuam mais aplicação prática. “Todo o conhecimento que adquirimos é de grande importância. Sou arquiteto e urbanista e o mestrado do Ietec foi na área de Engenharia e Gestão de Processos e Sistemas. Essa abertura para outra especialidade foi de grande valia para os trabalhos de coordenação de equipes de projetos que desenvolvo”, diz Danilo Batista.   

Além desses diferenciais, o Ietec tem a ciência de que os cursos de pós-graduação scricto sensu exige maior dedicação que uma pós-graduação lato sensu. Diversas instituições, inclusive, ministram as aulas durante a semana, muitas vezes no período diurno, obrigando os alunos a empregarem parte da sua jornada semanal nos estudos. O Ietec leciona aos sábados, permitindo aos estudantes conciliar o curso com as atividades profissionais, um diferencial relevante frente às demais instituições.

Os mestres e o mercado

Segundo o “Estudo da demografia da base técnico cientifica brasileira 2015” – estudo mais recente realizado pelo Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE) – a idade média dos titulados está em torno de 32 anos, enquanto no Ietec a média é de 38 anos. O perfil de estudantes da instituição agrega muito em sala de aula, pois o conhecimento teórico e vivência prática dos profissionais são maiores, sendo que 38% deles ocupam cargos de liderança, como diretoria, superintendência e gerência.

A pesquisa do CGEE também mostra que 65,8% dos mestres possuem emprego formal, sendo as indústrias extrativistas, dentre as demais seções da Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE), as que possuem melhor remuneração para os titulados. A média de remuneração geral é de R$ 9.720, enquanto a seção oferece, em média, salário de R$ 20 mil. Já entre os titulados que atuam em cargos executivos, segundo dados levantados pela Revista Exame, a média salarial fica em R$17.561, valor 65% superior à remuneração daqueles que possuem apenas uma pós-graduação lato sensu.

Outro ponto que merece atenção diz respeito à natureza do mestrado do Ietec, considerado interdisciplinar ao englobar as áreas base Engenharia, Tecnologia e Gestão. Esta característica confere maior versatilidade ao profissional titulado e por isso é uma das grandes áreas que mais tem crescido, chegando a 1.550% o aumento do número de programas entre 1996 e 2014, segundo pesquisa do CGEE.