Nos próximos 10 a 20 anos, mais de 52 milhões de empregos serão substituídos por máquinas no Brasil. Essa quantidade é equivalente a mais da metade dos postos de trabalho do país. É o que revela o estudo feito pela consultoria IDados. Isso quer dizer que o profissional do futuro será uma máquina? Não é bem assim, mas você deverá deixar a estabilidade de lado.

Cursos rápidos e especializados são essenciais para a formação do profissional do futuro. Esses cursos são capazes de aprofundar em um tema dentro de determinada profissão, evoluindo o profissional e o preparando para o mercado de forma assertiva.

Historicamente, cada época de revolução acabou com profissões e criou outras. Portanto, você deverá se especializar para os novos empregos e os que persistirão. Eles exigirão que o profissional do futuro seja especializado, que se prepare constantemente para a execução do trabalho.

A automação do trabalho já é percebida por grande parte da população brasileira. Você se lembra de qual foi a última vez que pegou no telefone e ligou para um ponto de táxi? Com qual recorrência você vê máquinas de atendimento no lugar de atendentes em fast food?

Isso, porém, não quer dizer que esses profissionais deixaram de existir. O taxista precisou se adaptar ao smartphone com seus aplicativos, que se trata de uma especialização mais simples. Já a segunda automação gerou lugares para programadores e desenvolvedores na empresa.

Capacitar a mão de obra humana para novas áreas é necessário. O profissional do futuro é alguém com habilidades, conhecimentos e criatividade. As tecnologias emergentes, como big data e cibersegurança, demandarão profissionais com essas características e especializações.

E aí, quer se tornar um profissional do futuro? Não há maneira de escapar, passar por constantes atualizações é o dever de cada um. O Ietec tem cursos ágeis que preparam diversos profissionais de diferentes áreas do mercado.