Nos últimos meses, a palavra “crise” tem sido figurinha fácil nos noticiários. O impacto desse período de incertezas foi sentido em todos os setores, principalmente no mercado de trabalho. O desemprego subiu e os profissionais tiveram praticamente que se reinventar para conquistar boas colocações ou para manter suas vagas.

Felizmente, essa tormenta parece estar no final. As expectativas para 2018 são positivas e as primeiras manchetes sobre recuperação e estabilidade já começaram a aparecer.

Esse cenário de retomada do crescimento certamente trará consigo perspectivas positivas para o mercado de trabalho, com o surgimento de novos postos e melhores oportunidades de emprego.

Se você já está de olho nessa maré alta que se aproxima e sabe que as melhores oportunidades são sempre dos profissionais mais bem preparados e antenados, fique esperto!

Este artigo será um verdadeiro guia para que você — que busca ascensão na carreira profissional — desenvolva suas competências profissionais e seja um forte candidato a um excelente cargo de chefia. Confira!

Atualização constante

Atualmente, as novidades e mudanças acontecem muito rapidamente em todas as áreas. Se você estiver parado, certamente não acompanhará a velocidade das transformações. Por isso, atualizar-se constantemente deve ser o talento n° 1 do profissional que busca boas colocações no mercado de trabalho.

Nesse momento, nenhuma desculpa vale! O que não falta são opções de qualificação profissional: cursos e especializações EAD, seminários e workshops, revistas e sites especializados. Enfim, as opções são inúmeras.

Adaptabilidade

Outra característica essencial para o profissional que busca ter sucesso na carreira é a adaptabilidade. Essa é a característica que popularmente costumamos denominar como “jogo de cintura”. O profissional que possui essa destreza sai na frente na disputa por uma boa vaga de trabalho.

Afinal, gerenciar equipes exige que o profissional saiba lidar com problemas e situações polêmicas. Assim, adaptabilidade é fundamental nessas situações. Também é demandado do profissional atenção e prudência para resolver as questões com elegância e eficiência.

Pensamento crítico

Quem quer um gerente que aceita tudo sem fazer uma análise prévia? Ninguém, não é mesmo? É exatamente isso que queremos dizer quando reforçamos a necessidade do raciocínio crítico bem desenvolvido.

O verdadeiro líder precisa racionalizar as situações, decidindo o que é melhor para sua equipe, de modo que o trabalho se desenvolva da melhor maneira possível, com eficiência e produtividade. Ler bons livros e viajar costumam ser ótimas atividades para desenvolver essa competência, pois oferecem uma visão crítica e abrangente do mundo.

Análise e tomada de decisão ágeis

Profissionais responsáveis pelo gerenciamento e pela liderança de equipes costumam ser colocados frente a frente com situações que demandam uma tomada de decisão rápida e precisa.

Nesse caso, o profissional precisa equacionar todas as condicionantes envolvidas de modo rápido, ciente de que, muitas vezes, suas decisões podem impactar positiva ou negativamente nos resultados do negócio.

Ou seja, trata-se de uma responsabilidade a mais para o profissional, que deverá estar atento para que suas decisões sejam as mais acertadas possíveis.

Proatividade

Quer ser um bom líder? Então, não fique parado! Movimente-se, descubra o que há de novo. Verifique o que está ruim e precisa ser mudado. Essa é a definição que caracteriza o perfil de um profissional proativo.

Esse tipo de colaborador costuma ser muito requisitado para assumir cargos de liderança. Afinal, quem chefia deve ter iniciativa na hora de gerenciar equipes, delegar tarefas e tomar decisões.

Austeridade

O líder não precisa ser sempre o bonzinho. Às vezes, é indispensável assumir um papel mais rígido para enfrentar situações adversas.

O profissional ideal para assumir cargos de liderança é aquele que sabe utilizar uma certa dose de austeridade em momentos decisivos, sendo firme o suficiente para negociar com fornecedores ou defender opiniões divergentes, por exemplo, em momentos cruciais — sempre sem passar do ponto, é claro!

Criatividade

A evolução tecnológica trouxe uma mudança fenomenal para o mercado de trabalho. As profissões já não são mais estanques e separadas uma das outras. Por isso, o profissional moderno precisa “pensar fora da caixa” — ou seja, abrir sua visão para outras possibilidades. Em resumo: é preciso ser criativo!

O perfil do novo líder deve necessariamente fazer uso da criatividade nesse cenário de mudança e inovação tecnológica, resolvendo problemas e contornando situações por meio de soluções inovadoras e criativas.

Gestão de pessoas

Antes de ser o responsável por um setor ou por um processo, o líder é o responsável por pessoas. Vale lembrar que pessoas não são máquinas: elas têm uma vida, têm problemas, ficam doentes, acordam de mau humor… Cedo ou tarde, o líder passará por alguma situação que ponha em cheque sua aptidão de gerir pessoas e conflitos.

Ou seja, o profissional deve zelar por seu currículo profissional buscando as melhores qualificações técnicas e especializadas. No entanto, jamais deverá esquecer de treinar suas habilidades de gerir pessoas — afinal, essas pessoas farão parte de suas equipes, ajudando-o a alcançar os melhores resultados.

Inteligência emocional

Uma boa forma de aprender a fazer uma boa gestão de pessoas é treinar primeiro sua inteligência emocional.

Essa aptidão relaciona-se com a maneira como o líder lida primeiro com as suas próprias emoções antes de lidar com as emoções e os sentimentos de sua equipe. Tudo, é claro, para agir sempre com a serenidade e a temperança típicas de um bom líder.

Negociação

Essa é uma das mais importantes de todas as competências requeridas para um chefe de sucesso. Afinal, as negociações acontecem constantemente em um ambiente de trabalho — seja com a própria equipe, seja na relação com o cliente externo.

Fazer uma boa oferta, conciliar, abrir mão de um determinado ponto… Todas essas são formas de negociar. Por isso, essa aptidão deve estar entre os principais recursos de um profissional referência.

Ufa, quanta coisa! Realmente, para ser um bom líder o profissional precisa mesmo contar com um rol de habilidades gerenciais. No entanto, nada disso é um bicho de sete cabeças! Com um pouco de esforço e dedicação, todo profissional pode desenvolver suas competências profissionais.

E aí, gostou do nosso texto? Está preparado para o desafio de assumir um cargo de chefia? Continue a sua jornada rumo ao sucesso profissional: leia este outro artigo sobre chefia e liderança e esteja preparado para as melhores oportunidades profissionais.

Boa sorte!